domingo, 26 de maio de 2013

O que restou?


O que podemos fazer se já não somos como antes?
O que mais podemos fingir se os sentimentos já não são mais os mesmos?
O que mais podemos imaginar se já não nos amamos como antes?
No que mais podemos acreditar se já não escolhemos mais nosso futuro?
O que mais posso esperar de ti se já que não te reconheço mais?
O que mais podemos fazer se já não nos amamos como antes?
No que mais estamos enganados, se até os sentimentos já não são como antes?
Por que manter essa farsa se já não podemos escolher nosso futuro?
Por que continuarmos juntos se você já não me ama mais?
Por que acreditar nessa farsa se já sabemos qual será o final?

domingo, 19 de maio de 2013



Sei que o caminho é difícil, muitas coisas já enfrentei e enfrentarei.
Mas o que acalma o meu coração é saber que não importa o que aconteça, você nunca soltará a minha mão.

Te Esquecer...


Por que é tão difícil te esquecer? Tipo, acordar e nem teu nome lembrar, simples assim. Não estou reclamando e nem dizendo que foi ruim quando estávamos juntos. Só quero dizer que é difícil não te ter e fingir que tudo está bem...


domingo, 5 de maio de 2013

Oportunidades


Nada estava em meus planos, mas decidi ir com minhas amigas àquele bar, nunca tinha ido, talvez fosse divertido.

Chegando lá elas resolveram jogar sinuca, eu nunca tinha jogado.
Na mesa ao lado havia um homem que me chamou atenção, trocamos olhares, sorrisos, apesar de que na verdade acho que ele estava rindo de mim enquanto eu jogava.

Mas logo percebi que ele estava indo embora, então falei alto com minhas amigas, que seria legal se voltássemos na próxima semana, no mesmo horário.
Ele se virou e sorriu.

E lá estávamos nós na outra semana, no mesmo horário e para minha surpresa ele também estava.
Foi assim por um mês.
Toda quinta no mesmo horário lá estávamos nós... E ele.

Ele nunca chegou pra falar comigo, comecei achar que ele era comprometido ou que não estava afim. Mesmo ele indo sempre ao mesmo horário que nós, comecei achar que era apenas coincidência.

Então, na semana seguinte concordei com as minhas amigas quando elas decidiram não sair.
Devo confessar que eu me arrependi muito, fiquei pensando se ele tinha sentido minha falta ou coisa do tipo.

Na outra semana decidi que eu tinha que ir, fui sozinha.

Chegando lá esperei uns quinze, vinte minutos enquanto eu experimentava algumas bebidas.
Depois de uma hora esperando, me senti como uma idiota, o que eu estava fazendo lá? Esperando alguém que nem estava afim de mim, alguém que eu nem tive coragem de conversar ou alguém que nem sabia que eu existia...

 Antes de ir embora decidi falar com um garçom que sempre o servia. 
O descrevi e perguntei meio sem jeito, se aquele homem sempre ia lá, ele sorriu e me respondeu que sim, toda quinta às dez horas ele estava lá, mas na semana passada ele pareceu um pouco decepcionado. Ele também me disse que parecia que ele estava esperando alguém e que esperou por quase uma hora enquanto bebia algumas batidas, disse que quando ele chegou perto para entregar outra bebida, o rapaz estava resmungando que tinha perdido uma grande oportunidade e que talvez ela nem o tivesse notado, depois disso ele me disse que não o viu mais...